Entre o momento e o eterno no processo permanente de mutação universal no qual nos substituímos uns pelos outros, "a vida é uma viagem imprevisível e célere que pode ser resumida em dois momentos: o choro na chegada e o silêncio eloquente na despedida", definiu o filosofo Nélson Barh
“Quem inventou a distância nunca sofreu a dor de uma saudade", completou François de La Rochefoucauld
Enfim, a chegada e a despedida são inicio ou fim de jornadas ou quem sabe recomeço para novas partidas...