“Cumpriu-se a tradição inserida no calendário adotado pelo Ocidente. Após frenética troca de mensagens de augúrios de realização pouco provável, parte da humanidade desperta estonteada para a crua realidade marcada por desigualdades, hipocrisia, miséria, fome, exploração, exclusão, violência e morte. Cenário vergonhoso decorrente do egoísmo patológico de elites obcecadas por adquirir poder e riqueza, propiciado pela estupidez crônica de multidões que desprezando a razão optaram por acomodarem-se nos primeiros degraus da espiritualidade, sacrificando insanamente o plano físico. Assim, a ‘civilização’ segue seu curso amparada em conceitos falidos de uma pseudo moralidade, oportunista e desprezível".
Samuel Saraiva